Combate ao Plágio! Entre nesta campanha você também!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Plágio, do latim plagiu (trapaceiro) é, segundo o Novo Dicionário Aurélio, "assinar ou apresentar como seu (obra artística ou científica de outrem)", ou ainda, "imitar trabalho alheio".

Quando você não é autor da idéia apresentada, os créditos devem ser devidamente dados aos seus criadores. Isso chama-se citação.

Torna-se algo completamente desagradável, deparar-se com uma idéia sua sendo divulgada por outrem sem os merecidos reconhecimentos. Afinal, boas idéias as vezes levam horas, dias e até anos para surgirem e agradarem, porém, em pouco tempo essas idéias podem ser roubadas. Um absurdo! Deixo aqui expressa a minha indignação por essa prática!

Sandra Pontes - divulgou em seu blog um artigo muito bem elaborado intitulado : Plágio. Uma questão de ética. Estou postando aqui em meu blog o selo divulgado por ela. Vale a pena visitar o blog citado acima! Plágio é crime e combatê-lo é questão de ética!




Quer saber o significado das palavras? Visite: Wikipédia - A enciclopédia livre



FeedGostou do artigo? Assine nosso Feed e saiba tudo o que acontece no Super DicaSSS!!!

3 comentários:

Sandra disse...

Bom... Oi. Vim seguindo os links da minha página sobre Plágio e resolvi colocar um texto único em todos (só espero não me auto-processar pelo copiar/colar...)

Quando o texto foi escrito eu já tinha descoberto meu terceiro texto copiado e com o nome de outro autor, ou seja, não foi "campanha", foi declaração de guerra aos "ladrões de galinha".

Fiz o texto como forma de expressar minha revolta pelo desrespeito e – com o perdão da palavra – absoluta falta de caráter de algumas pessoas que dizem ter blog, site e lhes faltam o mínimo para mantê-lo: capacidade para escrever. Não que eu seja lá essas coisas, mas em “terra de cego”... Hoje, meus poemas, contos e crônicas, apesar de registrados, são protegidos com senha. E estou com advogado para processar um grande servidor que se recusa a retirar meu texto.
Jamais quis promoção ou ver meu rank subir, de forma alguma. Se assim fosse, bastaria eu escrever qualquer coisa para atrair pára-quedistas ao site. Tanto que, mesmo escrevendo em uma revista online, meu site é pouco visitado.

Quando o Carlos Lima esteve no site e comentou exatamente no post, convidando-me a participar declinei, silenciosamente, pois a minha página é aberta para quem quiser e não havia mais nada, de minha parte, para falar sobre o assunto.
Minhas crônicas, contos e poemas são registrados, periodicamente, na Biblioteca Nacional. Tanto que tenho estampado, também em página aberta à visitação, uma foto de um dos registros. Hoje, meus poemas, contos e crônicas, apesar de registrados na BN, são protegidos com senha. E estou com advogado para processar um grande servidor que se recusa a tirar meu texto.

Agora, sinceramente, minha opinião sobre blogagem coletiva, que também já foi exposta por mim (para quem não sabe, estou na Net há quase 3 anos): nada se resolve, nada muda, nada melhora. Já trabalho há algum tempo, também, contra pedofilia e pouco conseguimos nesse tempo todo, quer seja prisão de alguém ou adesões significativas (apoio de jornais, TV, polícia, etc.). Postagens coletivas provocam “marola” na blogosfera e só.

Lamento pela repercussão negativa que este caso teve, com brigas, desentendimentos e, pelo pouco que consegui ler hoje, uma guerra sem um real motivo. A não ser que “quem botou o ovo primeiro” seja, necessariamente, fundamental para o assunto.

Concordo que ver um texto seu, com nome de outro, dá uma vontade imensa de estrangular o incapaz de criar, mas não vejo necessidade de tantas farpas. E essa campanha, daqui uma semana, por experiência própria, cairá no esquecimento. O que ajudou muito em meus casos de plágio foram poucos amigos, “flodando” o blog. Muitas vezes era uma luta solitária minha, pois até eles cansaram de me acompanhar.

Bom, o comentário quase virou post. Agradeço o link e o espaço para o comentário.

Jaqueline Amorim disse...

Eu é quem agradeço por seu comentário Sandra! Obrigada! Seu blog é muito bem elaborado e você escreve lindamente. Entendo que algumas questões por tão difíceis, complexas ou quem sabe por pura falta de interesse dos demais acabe se tornando uma utopia e causando desanimo nos que um dia sonharam com ela.Que maravilha seria um mundo sem pedofilia, sem crianças sendo arrastandas pelo chão até a morte, sem tráfico de dorgas, sem desaparecimentos que deixam famílias inteiras desesperadas, sem o próprio plágio citado neste post... Mas acredito que a maior campanha parte de nós mesmos. Cada um fazendo sua parte. E se por várias vezes, você torce para que não joguem lixo no chão e mesmo assim continuam jogando a diferença é você! Você não joga e é menos lixo na natureza. Assim funciona com tudo, não se pode perder a esperança... Mesmo que seu blog seja pouco visitado, os poucos que visitam colherão seus bons exemplos e se tornarão melhores mesmo que um pouco somente. Mesmo que a campanha acabe ou entre no esquecimento, o simples fato de no seu blog você não ser plagiador(a)e de ter comentado algo a respeito pode atrair outras pessoas que por pensarem utópicamente vão reiniciar a luta num dado momento.É a história do beija-flor que com seu bico tentava carregar água para apagar a chama da floresta enquanto os demais animais fugiam... Não ia adiantar nada, mas ele estava fazendo a parte dele (não sei quem é o autor dessa fábula, quem souber por favor avise aqui pois não sou eu). É isso, a luta continua...

Carlos Lima disse...

Amiga Jaqueline,
vim aqui para agradecer por seu empenho em divulgar a nossa campanha e dizer que sua postagem mereceu destaque, sendo linkada na página da campanha.
A Sandra está dando uma grande contribuição, aliás, fez referência contra os plagiadores mesmo antes do Leia-me ser criado.
Obrigado por estar conosco.
Abraço amigo,
Carlos Lima

Postar um comentário

Oi obrigada por comentar! Assim que possível responderei você aqui no blog! Volte sempre! :)

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina
 

  ©Template 'Super DicaSSS' by Jaqueline Amorim - 2010

TOPO